Brasil registra 2.433 casos confirmados de Covid-19 e 57 mortes

Catve | 25/03/2020 17:53
O número de mortes decorrentes do novo coronavírus (Covid-19) chegou a 57, conforme atualização do Ministério da Saúde publicada hoje (25). Pela primeira vez desde o início da pandemia, foram registradas mortes fora dos epicentros do surto no país, São Paulo e Rio de Janeiro. Falecimentos em razão da Covid-19 ocorreram em Pernambuco, no Rio Grande do Sul e no Amazonas.

O total de mortes marca um aumento de 11 em relação a ontem, quando a contabilização marcava 46 vítimas que vieram a óbito por conta da infecção. Na segunda-feira, eram 25 falecimentos.

O total de casos confirmados saiu de 2.201 ontem para 2.433 casos. O resultado de hoje marcou um aumento de 28% nos casos em relação ao início da semana, quando foram contabilizadas 1.891 pessoas infectadas.

O Ministério da Saúde recomenda o isolamento a quem apresenta sintomas da Covid-19 e a moradores da mesma residência do paciente sintomático, bem como a idosos acima de 60 anos, pelo prazo de 14 dias. Uma vez terminado esse período, não haveria mais necessidade da medida, a não ser em casos de uma condição médica específica.


CLOROQUINA

O ministro da Saúde também anunciou que o medicamento cloroquina, usado há mais de 70 anos no combate à malária, será usado no tratamento de pacientes graves com Covid-19 no Brasil. Também será usada a hidroxocloroquina, um análogo da cloroquina que, segundo Mandetta, "causa menos efeitos adversos".

O ministro da Saúde alerta que o uso dos medicamentos não é recomendado fora do ambiente hospitalar, uma vez que eles podem provocar arritmia.


REPASSE PARA MUNICÍPIOS

Mandeta informou ainda que o Ministério fará o repasse de R$ 600 milhões para as secretarias municipais de Saúde de todas as cidades brasileiras. Cada cidade receberá, no mínimo, R$ 2 por habitante e, no máximo, R$ 5 por habitante.


ISOLAMENTO VERTICAL

Ainda na coletiva, o ministro da Saúde disse que estudará a sugestão do presidente Jair Bolsonaro de adotar um "isolamento vertical", que incluiria apenas pessoas em grupos de risco, como aquelas a partir de 60 anos ou com doenças crônicas.

O secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo, afirma que o Governo se reunirá na quinta-feira (26) com secretários estaduais para debater o fechamento dos comércios e escolas, mas não vai determinar a reabertura dos mesmos, como pediu o presidente Jair Bolsonaro em pronunciamento realizado em cadeia nacional na noite de terça-feira (24).


PRIMEIRA PACIENTE CURADA

A advogada brasiliense Daniela Teixeira recebeu uma ótima notícia nesta semana quando soube que seu segundo exame para o novo coronavírus deu negativo. Ela foi a primeira paciente do Distrito Federal a ter sido curada do contágio, após semanas de medo e apreensão. Ela conversou com a Agência Brasil sobre a experiência e destacou a importância das ações de prevenção e combate à epidemia.


MEDIDAS CONTRA CORONAVÍRUS NA ASSISTÊNCIA SOCIAL

O governo federal definiu medidas, no âmbito da rede de assistência social pública e privada, para enfrentamento da emergência em saúde pública decorrente do novo coronavírus. A portaria do Ministério da Cidadania foi publicada hoje (25) no Diário Oficial da União e destaca a importância de o Estado brasileiro garantir a oferta regular de serviços e programas socioassistenciais voltados à população mais vulnerável e em risco social.
ENQUETE

Sem enquetes no momento

Desenvolvido por DocStart