Doença Mão-Pé-Boca faz com que atividades em CMEI de Mercedes sejam interrompidas

Assessoria | 15/04/2019 16:32

As Secretarias Municipais de Saúde e Educação e Cultura de Mercedes, em parceria com a 20º Regional de Saúde de Toledo e a Secretaria Municipal de Educação de Mercedes, informam que devido ao elevado número de crianças acometidas pela síndrome mão-pé-boca, decidiu-se interromper as atividades escolares no CMEI Passinhos do Saber.

Conforme levantamento, os casos, que tiveram início no dia 04 de abril, seguem aumentando a cada dia mesmo com as várias atividades preventivas realizadas pelas secretarias. O CMEI será desinfetado a partir desta terça-feira (16), com retorno das atividades no dia 22 de abril, período necessário para eliminar os vírus no ambiente.

Tal medida se justifica pelo período de transmissibilidade de 7 dias da doença e o fato do vírus envolvido na Síndrome mão-pé-boca apresentar potencial de complicações a saúde de crianças.

São 113 crianças frequentando o CMEI Passinhos do Saber, destas 56 não compareceram hoje (15) na instituição e 36 estão com confirmação da síndrome. A orientação é redobrar os cuidados com a higiene. 

O que é, sintomas e tratamento

A síndrome mão-pé-boca é uma doença altamente contagiosa, causada pelo vírus do grupo coxsackie, atinge frequentemente em crianças com menos de 5 anos, mas também pode ocorrer em adultos.

A infecção provoca o aparecimento de bolinhas avermelhadas nas mãos e nos pés e de aftas e por vez, na região íntima, causando sintomas de coceira.

A apesar de quase sempre regredir sozinha sem grandes complicações, os pais devem ficar de olho, pois o quadro pode debilitar as crianças, pela dificuldade em se alimentar.

Os sintomas podem incluir ainda: febre acima dos 38ºc; dor de garganta; dificuldade para engolir; muita salivação; vômito; mal-estar; diarreia; falta de apetite e dor de cabeça;

Como ocorre a transmissão 

A transmissão da síndrome mão-pé-boca ocorre por meio de tosse, espirros, saliva e do contato direto com bolhas que tenham estourado ou fezes infectadas, principalmente durante os primeiros 7 dias da doença. Mesmo após a recuperação o vírus ainda pode ser transmitido por meio das fezes durante cerca de 4 semanas.

Prevenção

O vírus pode ser transmitido através de objetos ou alimentos contaminados. Por isso, é importante lavar os alimentos antes do consumo, trocar a fralda do bebê com luva e depois lavar as mãos.

Reforçar a higiene com lavagem constante de mãos e uso de álcool gel quando não for viável o uso de água e sabão. 

Quer receber as notícias do Ponto da Notícia no seu WhatsApp? Clique aqui e participe do grupo de notícias

ENQUETE

Qual sua expectativa com o governo do presidente Jair Bolsonaro?

Desenvolvido por DocStart