MP denuncia e pede prisão de homem que matou vizinho por causa de som alto

Catve/Banda B | 14/06/2018 12:02

O empresário Antonio Humia Dorrio, de 49 anos, foi denunciado pelo Ministério Público do Paraná (MP-PR) pela morte do vizinho Douglas Regis Junkes, de 36 anos. A denúncia foi feita à Justiça no último dia 7 de junho. No documento, a promotoria ainda pede a prisão preventiva do empresário, que está em liberdade desde o dia 5 de junho. Dorrio matou Junkes com três tiros durante uma discussão no prédio em que moravam, no bairro Juvevê, em Curitiba.

Ao justificar a prisão, a promotora Roberta Franco Massa diz que as condutas hediondas praticadas por Dorrio "abalam a ordem pública, causando clamor social, demandando resposta rápida e enérgica do Poder Judiciário, sob pena de perda de sua credibilidade perante a sociedade e, por consectário, deixando fragilizada a prevenção geral da norma penal".

Em depoimento concedido à Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) após o crime, Dorrio disse que vinha tendo problemas de relacionamento com Junkes há seis meses. O empresário alega que agiu em legítima defesa. 

Segundo vizinhos, Dorrio tinha voltado de viagem e queria dormir no domingo à tarde. Ele teria ficado irritado com o som alto do vizinho debaixo, no 4ª andar. Foi tirar satisfações, já armado, ao que tudo indica. Os dois entraram em luta corporal e o empresário deu três tiros em Junkes, sendo um na cabeça e dois no peito. A vítima morreu na hora e o atirador fugiu de carro, pedindo socorro no Hospital Cajuru.

O empresário está em liberdade desde o dia 5 de junho, por autorização do juiz Daniel Surdi de Avelar, da 2ª Vara do Tribunal do Júri de Curitiba.

ENQUETE

Sem enquetes no momento

Desenvolvido por DocStart