Excesso de chuvas traz prejuízos à safra de soja no Oeste do PR

Tarobá News | 19/01/2018 11:35

O excesso de umidade no Oeste do Paraná continua como uma preocupação dos produtores e já ocasiona prejuízos nas lavouras de soja da temporada 2017/18. Além da dificuldade em realizar os tratos culturais nas plantações, os agricultores relatam a queda de vagens, o que deve impactar no rendimento neste ciclo.

Os eventos climáticos têm sido tão intensos na região que obrigaram até mesmo a cooperativa de Palotina, a cancelar seu tradicional Dia de Campo de Verão deste ano em razão do excesso de chuvas. As atividades aconteceriam nos dias 16 e 18 de janeiro.

Dados do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia) apontam para um volume acumulado de chuvas de até 200 mm nos últimos 15 dias e os impactos sobre as lavouras já é inevitável.

Em muitas regiões, como Assis Chateaubriand, as lavouras já apresentam perdas consolidadas, mas que ainda não podem ser quantificadas, segundo ressaltou o presidente do Sindicato Rural do município, Valdemar Melato.

O cenário é o mesmo na região de Palotina. O presidente do Sindicato Rural, Nestor Antônio Araldi, reforça que também há queda de vagens, quadro que já resultou em perda de produtividade. "Também faltou luminosidade para o desenvolvimento da cultura da soja. Em janeiro, tivemos apenas 2 dias de sol na região", completa.

O problema de queda de vagens também afeta os munícipios de Mercedes e Guaíra.

O atraso no Ciclo também é inevitável, segundo os engenheiros agrônomos. O forte da colheita deverá ser na metade de fevereiro.

As aplicações de inseticidas também tiveram que ser reforçadas porque o percevejo e a mosca branca atacam mais com essa humidade toda.

Em seu último boletim informativo, o Deral (Departamento de Economia Rural), reportou que 87% das lavouras apresentavam boas condições e 13% estavam em condições medianas. Nesta temporada, foram semeados 5,46 milhões de hectares com o grão e a expectativa é que sejam colhidas 19,3 milhões de toneladas.

Ferrugem Asiática

Com 88 casos confirmados da doença, o estado do Paraná lidera o ranking de ferrugem asiática no Brasil. As informações fazem parte do levantamento realizado pelo Consórcio Antiferrugem.

SAIBA MAIS

·       Agrônomo explica casos de queda de vagens em lavouras de soja de Mercedes e Guaíra

ENQUETE

Sem enquetes no momento

Desenvolvido por DocStart