Chute de bebê fura útero da mãe e ambos quase morrem

Massa News | 21/10/2017 06:55

Uma mulher grávida de 35 semanas foi encaminhada às pressas a um hospital na cidade de Pequim, na China, após acreditar ter algum problema com o bebê. Ela acordou cedo sentindo uma “dor de estômago” que logo foi evoluindo até se tornar insuportável. Levada às pressas ao hospital, ela chegou no local quase sem pulsação. Um ultra-som detectou que a mãe do bebê tinha um buraco com mais de sete centímetros dentro do útero. Pendurado para fora dele, estava o pé do menino.



Por ambos correrem risco de vida (a mãe, com uma hemorragia e o bebê com uma iminente infecção), a mulher, identificada como Zhang, foi submetida a uma cesariana de emergência. Em poucas horas os dois se recuperavam bem. Segundo o jornal norte-americano NY Post, os médicos investigaram as possíveis causas do incidente e descobriram que uma cirurgia feita em 2016 para retirar um mioma deixou um “ponto fraco” na região, que não suportou a força dos chutes do bebê. Eles lembraram, porém, que casos como esse são extremamente raros.



Segundo o secretário Wagner Mesquita, os alvos da operação Luz na Infância foram identificados através de um levantamento de informações pela Senasp e a Embaixada dos Estados Unidos no Brasil. Com base em informações e evidências coletadas em ambientes virtuais, a Polícia Civil instaurou inquéritos policiais e representou pelas buscas e apreensões junto ao Poder Judiciário, visando apreender computadores e dispositivos informáticos onde estão armazenados os conteúdos de pedofilia, indiciar e prender os criminosos.



As investigações que resultaram na operação Luz na Infância, diz Mesquita, vêm sendo feitas há seis meses e resultam do aprimoramento do trabalho de inteligência de segurança pública e atuação em modelo de força-tarefa, que reúne em um mesmo ambiente de trabalho policiais com expertise e capacitação na repressão aos crimes virtuais e de pedofilia. Um cenário ideal para coletar e preservar evidências criminosas, garantindo, como consequência, a identificação e posterior condenação dos criminosos pela Justiça.



A operação acontece em 24 estados brasileiros, para cumprir 172 mandados de busca e apreensão em 184 alvos. O número total de agentes envolvidos são 120 delegados, 609 policiais, 110 escrivães e 53 peritos.



A pedofilia é classificada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como uma doença de transtorno da preferência sexual. Pedófilos normalmente são pessoas adultas que têm preferência sexual por crianças pré-púberes ou no início da puberdade. O complexo ambiente da internet e a ausência de fronteiras no mundo virtual são elementos que propiciam terreno fértil à atuação desses criminosos.

ENQUETE

Sem enquetes no momento

Desenvolvido por DocStart